X
Blog - Contramestre Marketing Digital
E aí pessoal, vamos conhecer um pouco mais sobre o remarketing?
1 de agosto de 2013

Você já ficou se perguntando ou achando que era uma mera coincidência quando você acaba de visualizar um produto em um site e misteriosamente começa a receber centenas de anúncios do mesmo produto/site?!

Bom, se isso fosse há 20 anos, alguns aventureiros arriscariam a dizer que poderia ser a já conhecida pelos profissionais de marketing como “atenção seletiva”, mas, como não é esta a situação e vivemos um uma época cercada de tecnologia, com certeza, você já deduziu o óbvio:

“Alguém está colocando esses anúncios na minha tela exatamente porque visitei este produto antes”.

E isso é a mais pura verdade, hoje, com toda tecnologia existente no mercado, junto com as devidas ferramentas e profissionais capacitados, é possível atingir possíveis clientes que JÁ DEMONSTRARAM INTERESSE em seu produto anteriormente.

Hoje, isso pode ser feito em alguns meios, destaco como principais o Google e o Facebook.

O remarketing do Google, mais tradicional e já presente há bastante tempo no mercado, exibe anúncios através das buscas e também por meio de banners da Rede de Display* que atualmente atinge cerca de 74% dos sites no Brasil.

*A Rede de Display é o conjunto dos sites parceiros do Google que se cadastraram para exibir anúncios comercializados pelo Google.

Como ele funciona?

Bom, como dito anteriormente, a abrangência da Rede de Display é bem ampla e ela atinge a muitos sites em todo o país, por isso, é praticamente impossível navegar pela web sem entrar em algum site parceiro do Google.

Esse site que chamei de “parceiro Google” se cadastrou em uma ferramenta chamada Google Adsense para ser remunerado para exibir os anúncios que são “contratados” em outra ferramenta chamada Google Adwords.

Então, a agência ou profissional especializado, acessa o Adwords e inclui seus banners e anúncios que deverão ser exibidos ou nos resultados de pesquisa ou na Rede de Display do Google, porém, dentro desta ferramenta, é possível incluir uma tag que chamamos de código de remarketing.

Este código fica dentro do seu site, na página de seus produtos, de modo que quando você navega ou busca por algum item, você acaba sendo “tagueado”(marcado) como um possível interessado naquele produto.
Desta forma, o sistema do Google compreende isso e passa a exibir anúncios cada vez mais relevantes para você, pois, afinal de contas, você teve o interesse naquele produto.

Resumindo, quando você navega pela internet, sem perceber está tendo seus “interesses” coletados para que nós profissionais de comunicação possamos encontrá-los com maior facilidade.

 

Imagem

Ah, mas e o remarketing no facebook, como funciona?

Bom, ao contrário do que muitos pensam o Google e o Facebook não dividem o mesmo código de remarketing.

Você já deve ter visitado algum produto no Mercado Livre e de repente este produto passou a ser exibido nos anúncios do facebook ao lado do seu feed de notícias, não é mesmo?

Bom, esse remarketing interno, acontece basicamente da mesma maneira, porém, com ferramentas e códigos diferentes.

Hoje, para se fazer o remarketing no facebook é preciso contratar os serviços de empresas parceiras do Facebook e autorizadas a fazer este tipo de campanha com a ferramenta Facebook Exchange.

Até o momento, conheço poucas agências no país que estão habilitadas a isso, uma delas é a agência mestre(antiga MestreSEO), mas, se você quiser “brincar” um pouco e promover ações com remarketing no facebook, recomendo utilizar o Adroll que já tive alguma experiência e a empresa oferece duas semanas de teste para criar campanhas com orçamento acima de U$25,00.

Essa ferramenta basicamente fará o mesmo que o Google Adwords, ela tagueará o site para que a pessoa que visualizou o mesmo passe a receber anúncios dele ou daquele produto dentro do facebook.

Por hoje é só pessoal, espero ter esclarecido um pouco sobre como funciona o  “misterioso” remarketing.